Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

27
Mai16

Os estrangeiros

Maria do Rosário Pedreira

O jornal The Guardian tem sempre artigos interessantes sobre literatura, e o último que li é surpreendente. Não sei se têm ideia, mas é geralmente muito difícil a um autor de outra língua (especialmente a um autor não consagrado) conseguir uma tradução em inglês – e isto acontece porque os escritores anglófonos nos cinco continentes são mesmo muitos e, portanto, o espaço nas editoras do Reino Unido para as traduções acaba por ser realmente diminuto (as traduções de literatura são apenas 3,5% de todos os livros de ficção publicados). Mas as notícias deste artigo vão contra a regra: diz Alison Flood que, afinal, a ficção estrangeira traduzida em inglês parece atrair muitos leitores britânicos, segundo um estudo encomendado recentemente pelo Man Booker International Prize; e que autores como Elena Ferrante, Knausgaard ou Murakami conseguiram de facto um autêntico boom nas vendas de livros de ficção literária no Reino Unido, depois de serem finalistas daquele prémio prestigiante. Claro que a percentagem nas vendas totais de ficção é ainda escassa (a ficção comercial é a que atinge números mais elevados), mas a verdade é que o valor duplicou em dez anos e que, ao contrário do que aconteceu com os romances escritos originalmente em inglês, cujas vendas caíram, os romances traduzidos têm estado em franca ascensão, até porque o público para eles tem crescido muito desde 2001, estimulando os editores ingleses para que publiquem mais ficção traduzida. Veremos se assim os portugueses conseguem penetrar finalmente neste mercado…