Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

24
Mai10

Boas notícias

Maria do Rosário Pedreira

Depois de iniciar este blogue, a Cecília Andrade – minha colega na Leya e editora da Dom Quixote – deu-me uma excelente notícia: a de que A Tia Júlia e o Escrevedor, de Mario Vargas Llosa, de que aqui falei com entusiasmo, vai ser reeditado ainda este ano. Para os que queiram lê-lo e tenham paciência para esperar, fica a informação. E, a propósito de reedições, há mais uma notícia boa: um dia destes vi na sala da Dulce Reis, que é quem trata na Leya da produção dos livros da BIS (a colecção de bolso), as provas de outro livro há muito desaparecido que vai finalmente estar de novo disponível, mesmo que apenas em pequeno formato. Estou a falar de O Deus das Pequenas Coisas, um romance genial de Arundhati Roy que ganhou o Booker Prize nos anos 90 e é dos livros mais belos e inteligentes que li. Uma história de amor com o problema das castas na Índia como pano de fundo e dois gémeos biovulares inesquecíveis (não digo «biovulares» por acaso, o romance usa o adjectivo sempre que fala deles). Com gémeos de dois óvulos, há também outro livro que destacaria, mas fica para amanhã.

11 comentários

Comentar post