Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

25
Mai10

Jovens raros

Maria do Rosário Pedreira

Prometi falar de outro livro com gémeos de óvulos diferentes e cumpro a promessa. No ano passado, a melhor surpresa em forma de livro que me veio parar às mãos foi, sem dúvida, A Solidão dos Números Primos, do jovem italiano Paolo Giordiano. É tão raro encontrar um talento tão óbvio num escritor de apenas 26 anos que achei que me tinha enganado na idade do autor. Mas não: o rapaz, para além de escritor, é físico e está a concluir o doutoramento… Quem faz um doutoramento tão novo (mesmo que as coisas da educação tenham sofrido enormes mudanças e agora quase só seja preciso pagar, ir a umas entrevistas e fazer uma tese curta), tem de ser uma pessoa muito especial. E é, senão não teria escrito este livro magnífico, que só podia ser de um cientista (se lerem, perceberão porquê), onde duas personagens vão crescendo até se encontrarem (ou não) diante dos nossos olhos deslumbrados. Uma delas é um gémeo perdido da sua metade, a outra não.

13 comentários

Comentar post