Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

28
Abr11

Destinos infernais

Maria do Rosário Pedreira

As agências de viagens vendem férias em muitos paraísos de águas transparentes e recifes de coral, com praias de areias brancas e finas e um sol maravilhoso sempre suspenso de um céu sem nuvens. Mas estes paraísos têm o seu reverso. Há muitos anos, decidi ir passar férias aos míticos mares do Sul e aborreci-me terrivelmente com o mau serviço e o pouco que havia para ver e fazer. E a paisagem natural, embora absolutamente luxuriante e bela, estava vista ao fim de três dias e já não consolava. Sobre umas férias assim, tem David Lodge um romance fenomenal em tom de comédia que se intitula Notícias do Paraíso e mostra bem o inferno em que se podem transformar viagens a destinos ditos de sonho. Mestre da sátira, o escritor britânico não poupa os tansos, como eu, que andam milhares de milhas de avião para sofrerem uma das suas maiores desilusões de sempre...

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Areia às Ondas 28.04.2011 19:27

    António Luiz... isto parece um plano dum projecto de investigação da NASA! Percebo a ideia e concordo a 100% que a viagem começa quando decidimos fazê-la, mas o improviso, o imprevisto, o súbito, o 'derepentemente' são especiarias que dão outro sabor à viagem. Não me posso queixar de falta de quilómetros, em quatro continentes, em viagens planeadas por mim e não por agências, onde já gastei vários pares de botas, mas há que deixar espaço para a viagem ter vida própria...
  • Sem imagem de perfil

    António Luiz Pacheco 28.04.2011 21:38

    Minha Cara Areia:

    Tem e muito românticamente a minha simpatia e concordância... mas a aventura tem custos que nem todos podem pagar, seja em tempo , dinheiro ou espírito... e daí dizer o que digo naquele workshop... é um pouco assim como "Faz o que eu digo não faças o que eu faço"... compreende?

    Como se compreende, o mesmo imprevisto na Áustria ou Croácia, numa estrada da Califórnia, é bem diferente de ser na estrada de Benguela para a Lucira, no Norte Grande do Chile... ou em pleno mar das Caraíbas entre as ilhas Margarita e los Testigos ... e é a isso que me refiro, sem de modo algum duvidar das capacidades alheias para os resolver. Só que ambos sabemos que nem todos o conseguem ultrapassar... há quem fique na estrada entre Évora e Montemor com um simples furo...

    Boa noite e grato pela sua paciência em me aturar e dar troco! É um prazer poder falar aqui e assim consigo, acredite.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.