Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

19
Jun15

Lavar corações

Maria do Rosário Pedreira

Já aqui vos falei várias vezes das Quintas de Leitura, do Teatro do Campo Alegre, um espectáculo de poesia, música e outras artes, porque a imagem é sempre assegurada por um artista, seja pintor ou fotógrafo, que acontece uma vez por mês no Porto e, normalmente, é dedicado a um poeta e às suas palavras (ditas e escritas). De vez em quando, porém, juntam-se as poesias de dois (ou mais) numa só sessão, tornando-a menos pessoal, mais variada e mais susceptível de agradar a gente de gostos distintos. É o que vai acontecer na próxima quinta, dia 25, numa sessão que dá pelo nome de Máquina de Lavar Corações, em que o actor João Grosso apresentará logo no início uma performance com textos de Bocage, Verlaine e Cesariny com o bombástico nome «Para Continuar Tudo com Cara de Caralho» (ups!). Seguem-se leituras dos escritores portuenses Daniel Maia Pinto Rodrigues e Renato Filipe Cardoso (de poemas dos próprios), com acompanhamento musical, aquilo a que chamaram «Máquina de Lavar Dióspiros». O folheto promocional promete intensidade poética e muito humor e especifica que o espectáculo é desta feita para maiores de dezasseis (muita malandrice, calculo). Deixo-vos, então, um pequeno poema de amostra, de Renato Filipe Cardoso, e o bonito cartaz da sessão. Divirtam-se os que forem.

 

Senhoria

 

A alta renda

da sua cuequinha

moveu-me

uma acção de despejo.

 

quinrtas.jpg

 

5 comentários

Comentar post