Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

08
Set15

Livros da Selva

Maria do Rosário Pedreira

No meio das terríveis notícias que enchem as páginas dos jornais em todo o mundo sobre os refugiados e migrantes que tentam chegar à Europa, descobrem-se por vezes pequenas boas notícias. Num campo de refugiados em Calais, baptizado com o nome The Jungle (a Selva) – com cerca de 3000 pessoas, muitas das quais oriundas do Sudão e da Eritreia, que tentam ir para Inglaterra trabalhar –, uma professora inglesa de nome Mary Jones, que já apoiava o campo como voluntária, tomou consciência de que havia muitos refugiados com formação acima da média e resolveu criar uma biblioteca equipada exclusivamente com livros oferecidos. Além deste material, a biblioteca possui outros serviços: dá aulas de Inglês e orienta quem quiser na procura de uma profissão. Além desta biblioteca, o campo tinha já barbearia, mercearia, restaurantes, igrejas, uma mesquita e uma loja de reparação de bicicletas, parecendo querer sair da «Selva» o mais rapidamente possível. Mary Jones diz que muitos dos refugiados lhe pedem livros de poesia e ficção e afirma que seria muito importante receber livros noutras línguas que não apenas o inglês, que nem todos dominam, e também dicionários que facilitem a aprendizagem da língua inglesa. Todos podemos colaborar – e, se quiserem, aqui vai o endereço da professora:

 

maryjones@orange.fr

3 comentários

Comentar post