Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

15
Jan15

Na cozinha

Maria do Rosário Pedreira

Já estamos longe das festas (o tempo voa), altura em que muitos (muitas?) não conseguiram sair da cozinha para deixar tudo num brinquinho para a consoada, o almoço de Natal e a noite de fim de ano. Pois a mim, que sou fraca cozinheira, serve-me a cozinha de inspiração palavresca, tantos são os utensílios ali arrumados que dão origem a significados e expressões bem coloridos. Na gaveta dos talheres, por exemplo, encontro logo um bom garfo, que não é o que espeta, mas o que come bem; e também o que aprecia meter a sua colherada (mesmo que se diga «entre marido e mulher não metas a colher») ou que, mais subtil, dá uma colher de chá; ao lado, estão os que dão facadas no matrimónio, os que vão à faca na sala de operações, os que têm a faca e o queijo na mão ou lidam com assuntos que são uma faca de dois gumes, os desgraçados a quem põem a faca ao peito ou estão com a faca na garganta e ainda os de faca na liga, que são, de todos, os menos aconselháveis. Já no armário dos vidros, temos um bom copo, um copofone, o que está com os copos (tudo sinónimos), mas também o menino copinho de leite que não provou álcool no copo-d’água da irmã, bem como gente pires, gente manteigueira, gente meia-tigela e os que, no fim de uma discussão, gostam de levar a taça. Em baixo, entre as peças mais grosseiras, há um cara de tacho que arranjou um bom tacho sem saber fazer nada (dizem que foi tudo uma panelinha e que, quando isso vier a lume, ainda há-de sair da frigideira para o fogo) e também um homem que aprecia homens (com vossa licença: um paneleiro); nos carros, fala-se também de panela de escape, não é? Por fim, na prateleira do serviço que está a uso, lembro que a vingança é um prato que se serve frio, que Cristiano Ronaldo acusou Mourinho de cuspir no mesmo prato em que comeu, que há quem não vale o prato que come, que é bom deixar tudo em pratos limpos, que não comemos no mesmo prato de pessoas com quem não temos intimidade, que uma coisa rotineira é o prato do dia e uma coisa ou pessoa divertida é um prato ou um pratinho. E pronto. Já estão com vontade de partir a loiça toda?

13 comentários

Comentar post