Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

14
Fev17

Na Europa de Leste

Maria do Rosário Pedreira

Gabriel García Márquez, antes de se tornar escritor, já era jornalista; e publicou longas reportagens numa espécie de fascículos que, mais tarde, quando já era conhecido, acabaram por ser reunidas e publicadas em livro. Uma delas já foi falada neste blog – trata-se de Relato de Um Náufrago, a crónica de um homem sozinho à deriva numa jangada, na sequência de um naufrágio, durante uma dúzia de dias. Recentemente, foi dado à estampa um outro projecto do mesmo tipo, ainda mais interessante, que dá pelo título de Em Viagem pela Europa de Leste e é o testemunho de uma visita de García Márquez (com dois outros jornalistas) a alguns países da Cortina de Ferro no final dos anos 1950. O périplo inicia-se em Berlim Oriental e inclui a Checoslováquia, a Polónia, a Hungria e a União Soviética – e as diferenças de país para país são comentadas pelo autor e pelos seus companheiros de viagem. Na URSS, o escritor colombiano de esquerda não resiste, porém, a relatar como o regime idealizado por Lenine é tudo menos uma pera doce, que o povo aceita com medo e não questiona. Como refere Plinio Mendonza, que voltou com Gabo a Moscovo mais tarde, o escritor galardoado com o Nobel da Literatura ficou muito desiludido com o comunismo. (Só para vos dar um exemplo, eis o que conta sobre a Polónia: «Para nos fazer crer que na Polónia há liberdade religiosa, abriram igrejas e puseram por todo o lado funcionários públicos disfarçados de padres.») Basta ler este livro para saber porquê.

11 comentários

Comentar post