Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

04
Mai16

Um pícaro, para variar

Maria do Rosário Pedreira

Carlos Campaniço, alentejano de gema nascido em Safara, tem escrito quase sempre à roda do seu Alentejo. E o novo romance, à venda daqui por uns dias, também regressa à planície, tendo desta feita por protagonista um Don Juan de todo o tamanho, Firmino. A novidade está em que As Viúvas de Dom Rufia, recentemente publicado, chega em tom de comédia para contar as aventuras e sarilhos em que se mete este mulherengo incorrigível com o objectivo muito concreto de deixar de vez a pobreza franciscana com que sempre viveu. Conta a sua história um parente afastado, nascido muitos anos mais tarde na Argentina, que relembra passo a passo uma história que a família contava à volta da mesa na sua infância e que a todos arrancava bastas gargalhadas: a do funeral desse homem que parecia ter tantas vidas como os gatos, tão depressa armado de mala de médico a atender pacientes, como vendendo loiça, ouro e carvão Alentejo fora, ou até tentando convencer um incauto casal a comprar bocados de Angola para lhe ficar com o dinheiro; um funeral a que, sucessivamente, comparecem mulheres de várias idades supondo-se as suas viúvas, mas logo indignidades pela presença das concorrentes. A par desta louca conquista da independência financeira que tem como isco várias mulheres, é ainda relatada a surpreendente história de um velho chileno, coleccionador de fenómenos e proezas sobre-humanas, a quem Firmino chamará com toda a certeza a atenção. Muito divertido.

rufia.jpg

 

7 comentários

Comentar post