Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

09
Jan14

Escrever à mão

Maria do Rosário Pedreira

Quando era miúda e tinha de estudar, precisava absolutamente de ter um bloco à mão para fazer apontamentos do que ia lendo a fim de decorar e sistematizar a informação; julgo, aliás, que as famosas cábulas já ensinavam muito a quem as fazia, porque copiar para um papel ajuda claramente a reter e a organizar os conhecimentos. Alguns antropólogos defendem que a escrita à mão ajuda a desenvolver o pensamento lógico, a capacidade de abstracção e a objectividade. Mas eis que uma amiga, Maria Manuel Viana, partilha no Facebook uma péssima notícia divulgada no Le Magazine Littéraire, na qual a maioria dos Estados norte-americanos (penso que 45) se prepara para tornar a escrita à mão facultativa nas escolas. A decisão baseia-se aparentemente na circunstância de as pessoas usarem hoje apenas os teclados dos telemóveis e dos computadores para mandarem recados e escreverem textos curtos. Tendo sido realizado um inquérito, a conclusão foi a de que a maioria das pessoas interrogadas estava havia mais de seis meses sem escrever um único texto pelo próprio punho... Ora, os franceses, que até costumam ser bastante tradicionais em termos de educação, não foram tão longe como os norte-americanos, mas também resolveram simplificar a aprendizagem da escrita na escola, anulando maiúscula/minúscula e adoptando apenas um cursivo muito simples semelhante aos caracteres presentes nos teclados actuais, crendo que deste modo as crianças aprenderão mais rapidamente a escrever. Ai, pobre João de Deus, se fosse vivo havia de ter um enfarte... Como dizia a minha amiga no Facebook, será que se esqueceram de que a escrita é o suporte da nossa herança cultural?

5 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Artur Águas 09.01.2014

    "wright" não existe.
  • Sem imagem de perfil

    Joaquim Jordão 09.01.2014

    Desculpe, Artur: existe, embora seja um termo obsoleto. Subsiste como apelido.
    wright (plural wrights) = 1. (obsolete) A builder or creator of something.
    Faz, pois, todo o sentido o último apelido do grande Mestre da Arquitectura do séc. XX – Frank Lloyd Wright.
    Ele “alargou céu infinito”, não sei se está a ver...
  • Sem imagem de perfil

    Artur Águas 09.01.2014

    Obrigado pelo esclarecimento: permitiu alargar o meu leque de palavras ingleses caídas em desuso !
  • Sem imagem de perfil

    Joaquim Jordão 09.01.2014

    Ora essa! Não tem que me agradecer. Agradeça antes a Cláudia, que foi ela que nos deu esta oportunidade.
    Aliás, repare bem neste conceito – “alargar o infinito” – com que ela nos desafia.
    Isto, no meu caso, vem mesmo a calhar, que ando justamente a reler “Palomar”, de Ítalo Calvino.
    É que, nos 27 textos, o Senhor Palomar observa as coisas, objectivas e subjectivas, analisa-as, medita sobre elas e chega a conclusões. Porém, essas conclusões são, por sua vez, objecto da sua minuciosa observação, análise, meditação...
    «(...) E assim, de adiamento em adiamento, chega-se ao momento em que será o tempo a gastar-se e a extinguir-se num céu vazio (...) Se o tempo tem de se acabar, podemos descrevê-lo instante a instante, e cada instante, ao ser descrito, dilata-se tanto que deixa de se lhe ver o fim.»
    Está a ver onde Cláudia nos leva?
    (Peço desculpa de não escrever isto à mão, this moment my right hand is not alone).
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    A autora

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D