Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

14
Dez11

Um prémio para os animais

Maria do Rosário Pedreira

A sessão inaugural da Feira do Livro de Guadalajara incluía a atribuição de um prémio à obra de um escritor de línguas românicas (Lobo Antunes foi o feliz contemplado em 2008, mas tenho ideia de que não o foi receber) no valor de 150 000 dólares. Desta feita, o sortudo era o colombiano Fernando Vallejo, que é claramente um autor controverso e uma pessoa com aquela frontalidade incómoda que nem todos aguentam (o seu discurso foi tudo menos plácido, sobretudo no que tocou à Igreja, que se percebeu ser um seu inimigo figadal). O programa impresso que nos entregaram à entrada oferecia uma biografia mais ou menos extensa do escritor, destacando o seu amor aos animais e a sua militância na luta pelos direitos destes. A fotografia, por assim dizer, oficial do catálogo exibia-o com um gato ao colo e, referindo-se a um certo cardeal mexicano, Fernando Vallejo disse que lhe falava porque tem muito respeito pelos animais e ele é um verdadeiro pavão... Conheço várias pessoas que não comem carne porque estão contra os métodos usados na criação, transporte e abate dos animais que a fornecem. Trabalhei até com uma pessoa que chorava mais quando ouvia histórias de cães e gatos abandonados do que quando se falava dos abusos praticados em crianças (aí, o sua expressão era de asco, não de comoção). Mas nunca tinha ouvido um escritor recusar «em directo» tanto dinheiro. Fernando Vallejo, quando tomou a palavra para fazer os seus agradecimentos, anunciou imediatamente que o valor do prémio seria dividido por duas sociedades protectoras dos animais. Depois soube que, quando uns anos antes ganhou o prémio Rómulo Gallegos, ofereceu os 100 000 dólares a uma outra organização que trabalha na defesa dos direitos dos animais. É mesmo precisa paixão e coragem para se fazer uma coisa destas.

 

6 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Cristina Torrão 14.12.2011

    P.S. Quanto mais conheço a natureza humana, mais apoio atitudes como esta, de Fernando Vallejo.
  • Sem imagem de perfil

    António Luiz Pacheco 14.12.2011

    E eu acrescentaria:

    "O carácter de um povo mede-se pela forma como tratam os seus velhos, os inválidos e as crianças"
    (António Luiz Pacheco)

  • Sem imagem de perfil

    Cristina Torrão 14.12.2011

    Meu caro amigo, quem trata bem os seus velhos, os inválidos e as crianças, trata bem os animais. E vice-versa.
  • Sem imagem de perfil

    ASeverino 16.12.2011

    Cristina dixit "quem trata bem os seus velhos, os inválidos e as crianças, trata bem os animais. E vice-versa", não sei se aqui haverá vice-versa mas posso dizer que quem trata bem os animais trata bem os seus velhos, inválidos e as crianças, aqui sim pode aplicar-se com toda a propriedade o vice-versa...
  • Sem imagem de perfil

    Cristina Torrão 16.12.2011

    Talvez, Severino. O que eu quis dizer é que quem tem coração, mesmo, sincero (e não apenas para cair nas boas graças dos outros) trata bem qualquer ser vivo. Disso, não tenho dúvida!

    Já agora, aproveito para falar desse fenómeno que leva certas pessoas a chorarem, ao ver animais abandonados, e não vertem lágrimas, ao saber de casos de pedofilia ou de crianças abandonadas. É uma questão interessante e talvez não tenha nada a ver com o facto dessa pessoa ser desequilibrada. Deve haver uma explicação psicológica para isso.

    Por outro lado, às pessoas que criticam tal comportamento, eu perguntava: e elas? Choram quando vêem crianças maltratadas? Conhecem alguém que o faça?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    A autora

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D