Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

20
Abr15

A nossa língua

Maria do Rosário Pedreira

Que temos de mais bonito senão a nossa língua, essa língua que correu mundo e se misturou com a dos povos de África, da América, da Ásia, e voltou outra, cheia de salpicos doces e palavras em bico, e é hoje uma criação colectiva de aquém e de além mar? Leio no jornal Globo do Brasil uma fantástica crónica de José Eduardo Agualusa sobre a matéria, em que ele cita uma das frases mais conhecidas a propósito, a muito difundida «Da minha língua vê-se o mar», de Vergílio Ferreira, que continua: «Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.» Também Pessoa disse que a sua pátria era a língua portuguesa, outra grande frase; mas, ao ler o belo texto de Agualusa, caio de amores por uma frase dele, que é tão cheia de língua e de graça que não podia vir de um sisudo português. Ora tomem lá (a segunda parte é que conta): «A minha língua é esta criação coletiva de brasileiros, angolanos, portugueses, moçambicanos, cabo-verdianos, santomenses, guineenses e timorenses. A minha língua é uma mulata feliz, fértil e generosa, que namorou com o tupi e com o ioruba, e ainda hoje se entrega alegremente ao quimbundo, ao quicongo ou ao ronga, se deixando engravidar por todos esses idiomas.» Bela prosa esta do escritor angolano que, mais à frente, diz que os seus conterrâneos todos os dias trazem alguma coisa para o português, com quem «têm uma relação de esplêndida irreverência. Falam português sem culpa e sem gravata.» E, se ele o diz assim, eu acredito – e desejo que tragam estas proezas todas para a nossa língua quanto antes e que os nossos autores as usem logo, porque às vezes os papéis dos potenciais escritores em cima da minha mesa são muito pobrezinhos ao pé disto

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

A autora

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D