Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

17
Mai18

Acusações públicas

Maria do Rosário Pedreira

Há muitos anos, nas Correntes d’Escritas, houve uma memorável mesa-redonda numa noite de sexta-feira. Ninguém tinha combinado nada, mas os intervenientes resolveram todos fazer intervenções cheias de humor e, não bastando isso, uma autora espanhola que assistia na plateia resolveu interpelar um seu colega (que era  o único na mesa que não se ria por não perceber as piadas em português) e, fingindo-se sua mulher, fazer-lhe reprimendas e mandar-lhe recados em voz alta. Foi hilariante – até porque ele não se desmanchou –, mas todos sabiam que não passava de uma brincadeira de Angela Valvey com Ignacio Martínez de Pisón, ambos bastante jovens na altura e amigos um do outro. O mesmo, porém, não aconteceu ao premiado com o Pulitzer Junot Díaz, autor do admirável A Breve e Assombrosa Vida de Oscar Wao, de que falei aqui no blogue há uns anos. Estava num festival literário em Sydney, a falar de um artigo que escreveu recentemente na New Yorker sobre o facto de ter sido violado por uma pessoa que lhe era próxima aos oito anos quando uma senhora (Zinzi Clemmons) resolveu confrontá-lo ali mesmo com a sua má conduta com as mulheres e a tentativa de assédio sexual que lhe fizera uns anos antes, perguntando-lhe porque não aproveitara também o seu ensaio para pedir desculpa. Nem imagino como se pode sentir alguém numa situação destas (falo do escritor, embora certamente Zinzi também se deva ter sentido mal quando Junot Díaz a assediou). Dizem que o escritor deixou o festival e a Austrália depois de mais umas tantas raparigas se terem queixado do seu comportamento inadequado nas redes sociais e que depois fez uma declaração, pedindo desculpa, explicando que as sequelas do que sofreu na infância, tal como escrevera no artigo, incluem esta sua faceta, mas que está a corrigi-la e tem aprendido muito com o que se está a passar actualmente no mundo. O que não me parece é que Zinzi vá pedir desculpas pela acusação pública.

12 comentários

Comentar post