Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

07
Jan19

Afinidades

Maria do Rosário Pedreira

Não falei do que andava a ler no início do mês, mas falo agora: trata-se de um romance de capítulos bastante curtos escrito por uma catalã, Tina Vallès, e intitulado A Memória da Árvore (Dom Quixote). A capa e o título despertaram a minha atenção, mas foi sobretudo a sinopse da contracapa que me convocou, porque falava de um neto e de um avô, cuja relação é aprofundada (mas também alterada, e de que maneira) pelo facto de o último sofrer de Alzheimer e ter de deixar a própria casa para ir morar com a filha e o genro na cidade. Quando comecei a lê-lo, tocaram logo campainhas: em primeiro lugar, A Despedida de José Alemparte, de Paulo Bandeira Faria (autor que infelizmente morreu cedo e não pôde brindar-nos com outras maravilhas), que tocava o mesmo assunto (embora tivesse outra história importante de permeio), o de um avô com Alzheimer que quer fixar as coisas enquanto ainda é possível recordá-las, e de um neto cómico que lhe faz companhia e usa o seu computador. Mas também Rugas, um romance gráfico notável que conta a história de um homem a quem é diagnosticada a referida doença e é internado num lar onde a vida não é uma coisa bonita de se ver (este teve filme, que apanhei por acaso há uns anos num canal por cabo, e nem era mau). São três livros afins, apesar de o de Tina Vallès ser muito mais enternecedor e comovente do que os outros. Todos valem a pena.

20 comentários

Comentar post