Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

10
Mai18

Bons encontros

Maria do Rosário Pedreira

Há encontros felizes e este foi um deles. Estava eu nas Correntes d’Escritas a apresentar o fresquissimamente publicado A Febre das Almas Sensíveis (esta febre é a tuberculose e algumas das almas sensíveis escritores de língua portuguesa que a contraíram), de Isabel Rio Novo, quando, na altura dos autógrafos, uma senhora veio ter comigo. Era a Dra. Leonor Furtado, Inspectora-Geral das Actividades em Saúde (IGAS) e ali mesmo se disponibilizava para acolher uma sessão em torno romance em Lisboa; não só por a IGAS ser uma entidade ligada à saúde, o que já seria uma razão compreensível, mas sobretudo porque as suas instalações foram em tempos justamente o hospital dos tuberculosos, junto ao Cais do Sodré, e, como tal, vinha o mais possível a propósito falar lá, onde tudo aconteceu, deste magnífico romance que foi finalista do Prémio LeYa em 2017. Depois de alguns contactos e muita simpatia, essa apresentação, num formato diferente do habitual, decorrerá hoje a partir das 17h00 na biblioteca do IGAS e contará, além da da referida  inspectora-geral e da jornalista Isabel Nery (que é quem modera a conversa), com a presença da Dra. Graça Freitas, Directora-Geral da Saúde, que também falará desta doença que foi um flagelo e que, se não tivermos cuidado, poderá voltar a sê-lo. Espero que possam vir e aí segue o convite para que nos acompanhem.

 

convite_febre igas.jpg

 

 

 

8 comentários

Comentar post