Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

27
Fev14

Fábrica de sonhos

Maria do Rosário Pedreira

Disseram-me que os televisores vão ter muito rapidamente ecrãs tácteis, como os dos telemóveis e dos iPad, nos quais as crianças tocarão para mudar de canal, aproximar a imagem ou ajustar o volume do som. Não me pareceu nada do outro mundo, se, na verdade, os pimpolhos dominam a técnica na perfeição (basta vê-los operar os telemóveis dos pais quando estes se distraem por instantes). Não estava, porém, à espera da notícia bombástica de que a Walt Disney – quem mais? – se prepara para, por meio de impulsos eléctricos transformados em microvibrações, oferecer aos telespectadores uma outra função, que é a de, ao passarem os dedos no ecrã, sentirem a textura do objecto ali mostrado. Mas parece que a tecnologia já foi testada e funciona mesmo. Já vejo a criançada a fazer festinhas a televisivos cães peludos (mesmo que eles não abanem a cauda em sinal de reconhecimento) e as meninas a experimentarem a suavidade da seda e dos tules das princesas dos desenhos animados; e – porque não? – as donas de casa a enterrarem os dedos naqueles turcos muito fofos que entram sempre nos anúncios a detergentes de máquina de lavar. Quiçá os adolescentes solitários se atreverão então a tactear o corpo de uma actriz famosa para depois contarem aos amigos que beliscaram a nádega da estrela... Enfim, com livros a cheirarem a chocolate e televisores macios como alcatifas, não sei que mais podemos esperar.

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Claudia da Silva Tomazi 27.02.2014

    Nova Lisboa




    Oh' vida de vida beleza nua
    quiseeste comparar-te a lua
    teu crescente apogeu encerra
    amo-te doce e favorável terra.


    Que a igualdade de teu dia
    em quisera o quê nem temia
    vai assenta teu verbo a carne
    sem correria, reajuste ou alarme.


    Transformar-se-á vossa cheia
    donde claro por noturno
    esvazia-se noutro momento?


    sois voz, lida e talento
    eis minguaste mira lá turno
    passeia garbosa nem peia.
  • Sem imagem de perfil

    Pedro A. Sande 27.02.2014

    Nova Tomazi

    Sóis fechado termo
    Quedo e mudo
    Fachada com graça
    Abstracta passagem
    De Extraordinária Hora...
    Extra.
    Crioulagem de mente
    Tão diferente
    Da imprudente
    Imatura criadagem
    Do lugar de roupagem
    Que é um lugar
    De pecado,
    Seguro.

    Sóis a genial
    To Mazi,
    Cláudia para os
    Des Conhecidos,
    Doce e madura romã
    De subtil pomar
    De saboroso
    Guloso
    Verdíssimo fruto.

    Sóis de Lisboa
    Bairro da Bem Boa
    Finíssima fabricadora
    Da experimental
    Poesia,
    E na desordem talhada,
    Da floral re mixagem
    Da palavra radical

    E do seu amulatado
    Adro,
    Lugar virtual
    Sem pecado
    Virtuoso,
    Onde o sentido
    Do nocturno,
    Toma a vida,
    Sem pudor,
    Do lugar
    Do diurno

    Grande e garbosa
    Tomazi.
  • Sem imagem de perfil

    Claudia da Silva Tomazi 27.02.2014

    História ia a cavalo.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.