Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

17
Mar14

Nu e cru

Maria do Rosário Pedreira

Claire Franek e Marc Daniau, franceses, são os autores de um livro infantil chamado Tous à Poil, no qual personagens (entre elas um polícia e uma professora) a dada altura se põem em pêlo para entrarem no mar e tomarem uma boa banhoca, numa celebração descontraída do corpo. Mas esta visão desinibida da nudez não agradou ao partido de centro-direita UMP, cujo presidente foi à televisão manifestar o seu escândalo por uma professora aparecer nua num livro para crianças, dando o que ele achou um péssimo exemplo. Claro que isso só fez com que a obra chegasse ao Top de vendas em menos de nada e que os editores, autores e livreiros ficassem chocados com essa espécie de censura a um livrinho que não pretendia de modo nenhum ser ofensivo. Vai daí reagiram de forma bastante original, deixando-se fotografar completamente em pelota, cobrindo apenas certas partes do corpo com livros. «Todos nus contra a censura» era a frase que acompanhava o cartaz, que pretendia fazer a defesa dos autores da obra criticada pelo partido de Copé, sublinhando ainda que devem ser acarinhados todos os livros que ampliam horizontes e acendem o debate e que Tous à Poil permitia a todos os cidadãos, fossem eles quem fossem, compreender a informalidade da sociedade contemporânea e resolver os tabus sobre o corpo. E acrescentavam que, independentemente de se ser um médico, uma professora ou um bebé, todos temos rabo e genitais (e ainda bem). Essa é a verdade nua e crua. A foto aí vai.

 

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    António Luiz Pacheco 17.03.2014

    Perdão: " se a esquerda é muitas vezes burra, a direita é frequentemente estúpida!"
    Era o que queria dizer - sem ofensa!
  • Sem imagem de perfil

    João J. A. Madeira 17.03.2014

    E eu creio, Extraordinário Pacheco, que as polémicas são muitas vezes muito bem encomendadas e executadas por, apenas aparentes, retrógrados que, no fim, acabam por ser esquecidos. Resta depois o título do livro em causa e a polémica que levantou. Não terá então sido atingido o objectivo?
  • Sem imagem de perfil

    António Luiz Pacheco 17.03.2014

    Sim!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    A autora

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D