Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

02
Jan17

O que ando a ler

Maria do Rosário Pedreira

Ora então sejam bem-vindos ao Horas Extraordinárias neste ano novo, depois de umas pequenas férias muito soalheiras e repousantes (pelo menos, para mim) e provavelmente uns quilitos a mais e uns quantos livros lidos. Como hoje é o primeiro dia útil do mês, cabe-me de resto falar do que ando a ler – e por acaso leio um romance bem bom, de Isabela Figueiredo, de quem já tinha lido o Caderno de Memórias Coloniais (acho que terei falado dele aqui no blogue). A obra que tenho em mãos – A Gorda – é realmente impactante, e basta a primeira página para nos agarrar. Contada na primeira pessoa, num tom que é bastante cru e não isento de um inteligente cinismo, a história começa por referir a perda de 40 quilos de Maria Luísa numa gastrectomia (essa operação que diminui o estômago) dois anos depois da morte da mãe, levando-nos então de volta à sua infância e adolescência, com e sem os pais, e aos dramas por que passam as gordas nessas idades, mas sem nada de patético ou lamecha, até porque Maria Luísa nunca se verga. Original é também a forma como a autora nos apresenta os vários episódios da vida da protagonista, dividindo os capítulos do seu romance em partes de uma casa – a Porta de Entrada, O Quarto de Solteira, a Sala de Estar… –, lugares que lhe servem para relatar momentos fundamentais da vida da «gorda» e que podem estar relacionados com os hábitos dos bairros suburbanos, com as memórias da vida colonial, com a iniciação amorosa, com a escrita de correspondência e não só. Numa prosa intensa, às vezes desarmante (aplaudo as descrições das cenas de sexo que, na literatura portuguesa, costumam resvalar frequentemente para o mau gosto), este é um livro mesmo muito bom que ninguém deve deixar de ler. Para magros, gordos e assim-assim.

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Puck 02.01.2017

    " A los demonios no hay que creerles ni cuando dicen la verdad."

    Gabriel García Márquez
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    A autora

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D