Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Horas Extraordinárias

As horas que passamos a ler.

04
Jun18

Somos Douro

Maria do Rosário Pedreira

No dia 1 começou o festival Somos Douro, que se estenderá até ao dia 17 deste mês e, dedicando-se especialmente aos jovens da região, abarca nada  mais nada menos de 19 municípios! Tem como comissária Anabela Mota Ribeiro e pretende envolver as comunidades locais nas actividades multidisciplinares que vão desenvolver-se e que, tomando como ponto de partida os binómios «ser/pertencer», «aprender/fazer», «descobrir/partilhar», contemplarão a relação dos intervenientes com o património (incluindo o Douro Vinhateiro que, não por acaso, tem o selo da UNESCO há dezasseis anos). Aproximar-se-ão lugares e estratégias, colocando um autocarro ao dispor dos interessados e fazendo com que os artistas visitantes trabalhem com os da geografia duriense (Camané, por exemplo, abriu o festival cantando com a Orquestra de Cordas de Vila Real em Lamego). Não faltarão escritores, evidentemente: depois de Pedro Mexia, Leonor Baldaque e Bernardo Pinto de Almeida (que participaram em conversas no fim-de-semana), hoje Ana Margarida de Carvalho estará em Santa Marta de Penaguião onde viverá por uma semana e fará uma oficina de escrita dirigida àqueles que gostam de escrever (mas estarão presentes muitos mais autores, entre eles o americano mais português que conheço: Richard Zimler). Até dia 17 o programa é intenso, dividindo-se por muitas áreas do conhecimento (a cientista Maria Manuel Mota, Prémio Pessoa, intervirá dia 7, e a historiadora Irene Pimentel no dia 13). Todas as actividades são gratuitas, e quem se queixa das coisas centralizadas, tem aqui uma boa oportunidade de ver que nem sempre é assim e de ir dar um pulinho ao Douro, além do mais, para encher o olho de paisagem.

11 comentários

Comentar post